Commodities Latin América


BRASIL MADERAS

ANGICO-VERMELHO

Nome Científico:
Parapiptadenia rigida (Benth) Brenae, Mimosaceae.

Outros nomes e Espécies Afins:
Angico-amarelo, Angico-branco, Angico-cedro, Angico-rosa, Angico-curtume, Angico-dos-montes, Angico-sujo, Angico-do-banhado, Guarucaia. No Nordeste, a P. Gonoa-cantha conhecida como Jacaré, pode ser considerada uma espécie afim. 

Descrição da Árvore: 
Sua casca é grossa, escura, fendilhada, de cor pardo-avermelhada interna-mente. Pode-se encontrar árvores de até 30 m de altura e com diâmetro de 80 cm, porém geralmente atinge 10 a 15 m de altura e 50 cm de diâmetro. Em plantios pode alcançar, aos 18 anos, 18 m de altura por 23 cm de diâmetro.

Características da Madeira:
Tem o cerne pardo-avermelhado e alburno pardo-rosado, com superfície lustrosa e lisa. Textura média, grã direita a irregular. Cheiro indistinto e gosto ligeiramente adstringente.

Região de Ocorrência:
É encontrada na região sul do Brasil e no Estado de São Paulo, em florestas pluviais; embora nos capões, galerias e capoeiras também ocorra.

Propriedades Físico-Mecânicas:
Esta espécie possui alta durabilidade natural e resistência mecânica média. Apesar de ser madeira pesada, sua refratibilidade é média.

Massa específica g/cm3 kg/m3 
Aparente(15% de umidade) 0,85 850 
Básica 0,69 690 
Retração Total Radial Tangencial Volumétrica 
(%) 3,8 8,4 14,2 
Índice tangencial/radial = 2,21 
Resistência Mecânica (kgf/cm2) Madeira Verde A 15% de umidade 
Compressão axial 393 542 
Flexão estática 867 1.092 
Tração normal 97 - 

Comportamento Durante a Secagem:
A madeira de Angico-vermelho é classificada como de secagem lenta e difícil, passível de empenamentos e rachaduras.

Programa de secagem sugerido para madeira de ANGICO-VERMELHO com até 38 mm de espessura. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 50,0 49,0 95 21,5 - 
até 50 50,0 48,0 89 18,0 3,1 
50 50.0 47,0 84 15,8 3,1 
40 50,0 46,0 79 14,0 2,9 
30 55,0 49,5 73 11,7 2,6 
25 65,0 58,0 68 9,9 2,5 
20 70,0 59,0 59 8,0 2,5 
15 70,0 54,0 45 6,1 2,5 
10 70,0 46,0 27 4,1 2,5 

Programa de secagem sugerido para madeira de ANGICO-VERMELHO com espessura de 40 mm a 65 mm. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 40,0 39,0 94 21,6 - 
até 50 40,0 38,5 91 19,8 2,5 
50 40,0 38,0 88 18,3 2,7 
40 40,0 37,5 85 17,0 2,4 
30 45,0 41,0 79 14,2 2,1 
25 55,0 49,0 71 11,3 2,2 
20 65,0 56,5 63 9,1 2,2 
15 65,0 51,5 49 6,8 2,2 
10 65,0 43,0 29 4,5 2,2 

Trabalhabilidade:
Considerada madeira de trabalhabilidade média a difícil em todas as operações com máquinas.

Indicações de Uso:
Construções externas, estacas, postes, moirões, dormentes, vigamento, caixiiharia, assoalhos, peças torneadas, carpintaria em geral.


GRÁPIA

Nome Científico:
Apulela leiocarpa (Vogel) Macbride., Leguminosae.

Outros nomes e Espécies Afins:
A madeira de Grápia também recebe as de denominações de Garapa, Grapiapunha, Grapiá, Amarelinho, Gema-de-ovo. Garapeira. 

Descrição da Árvore:
Árvore com 25 a 30 m de altura e diâmetro de 60 a 100 cm. Seu tronco cilíndrico é um pouco tortuoso, possuindo uma casca fina, dura, de cor pardo-amarelada, que se desprende em placas rígidas.

Características da Madeira:
Cerne do bege-amarelado ou amarelo levemente rosado até róseo-acastanhado, uniforme; alburno branco-amarelado. Grã irregular a reversa; superfície lisa, lustrosa, de textura média; cheiro e gosto imperceptíveis.

Região de Ocorrência:
A espécie Apulela lelocarpa ocorre nas matas pluviais do sul da Bahia e norte do Espírito Santo até o Rio Grande do Sul, Argentina e Paraguai. Na região Amazônica verifica-se a presença de uma variedade dessa espécie (A. lejocarpa var. molaris), que é denominada de Muiraluba ou Barajuba.

Propriedades Físico-Mecânicas:
Trata-se de uma madeira pesada e dura, de média retratibilidade volumétrica e com resistência mecânica entre média e alta. Possui moderada resistência natural ao apodrecimento.

Massa específica g/cm3 kg/m3 
Aparente(15% de umidade) 0,83 830 
Básica 0,67 670 
Retração Total Radial Tangencial Volumétrica 
(%) 4,4 8,5 14,0 
Índice tangencial/radial = 1,93 
Resistência Mecânica (kgf/cm2) Madeira Verde A 15% de umidade 
Compressão axial 380 554 
Flexão estática 956 1.278 
Tração normal 98 - 

Comportamento Durante a Secagem:
Madeira de secagem difícil, que deve ser lenta e bem controlada para evitar a alta incidência de defeitos.

Programa de secagem sugerido para madeira de GRÁPIA com até 38 mm de espessura. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 40,0 39,0 94 21,5 - 
até 50 40,0 38,5 91 19,8 2,7 
50 40,0 38,0 88 18,3 2,7 
40 40,0 37,0 83 16,2 2,5 
30 45,0 39,5 70 12,1 2,5 
25 55,0 47,5 64 10,0 2,5 
20 65,0 54,5 58 8,0 2,5 
15 70,0 54,0 45 6,1 2,5 
10 70,0 46,0 27 4,1 2,5 

Programa de secagem sugerido para madeira de GRÁPIA com espessura de 40 mm a 65 mm. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 40,0 39,0 94 21,6 - 
até 50 40,0 38,5 91 19,8 2,5 
50 40,0 38,5 91 19,8 2,5 
40 40,0 38,0 88 18,3 2,2 
30 45,0 42,5 86 17,0 1,8 
25 50,0 46,5 81 14,7 1,7 
20 60,0 54,5 74 11,8 1,7 
15 60,0 51,0 60 8,8 1,7 
10 60,0 44,0 38 5,8 1,7 

Trabalhabilidade:
Madeira fáciI de se trabalhar desde que se use ferramentas apropriadas devido á presença de sílica; porém recebe bem cola e proporciona bom acabamento.

Indicações de Uso:
Construção de estruturas externas tais como dormentes, postes, estacas, moirões, cruzetas e similares; em construção civil como vigas, caibros, ripas, marcos ou batentes de portas e janelas, esquadrias, assoalhos, forros e similares. E também indicada para tanoaria, carrocerias, cabos de ferramentas e construção naval.


CEDRINHO

Nome científico 
Erisma uncinatum Warm. 

Família 
Vochysiaceae 

Nomes comerciais 
BRASIL :bruteiro, cachimbo-de-jabuti, jaboti-da-terra-firme, quaruba-vermelha, quarubatinga, quarubarana.

Origem 
Ocorre na região Amazônica, em especial no Estado do Pará. Ainda em Roraima, Amapá, Guianas e Suriname.

Característica gerais 
Cerne marrom-avermelhado-claro, distinto do alburno cinza-claro a marrom-acizentado-claro.Anéis de crescimente distinto, grã direta a revessa, textura média, brilho ausente e cheiro impercepívil. 

Secagem 
Rápida em estufa, com tendência a encanoamento moderado, e com moderada tendência a rachaduras e torcimentos médios.

Trabalhabilidade 
Fácil de aplainar, serrar e lixar.Apresenta superfície de acabamento ruim. 

Durabilidade 
Baixa resistência ao ataque de organismo xilógrafos.

Preservação 
Alburno e cerne muito fáceis de preservar, sob pressão, com creosoto e com CCA-A. 

Usos 
Construção civil e naval, móveis, molduras, carpintaria comum, fabricação de contraplacados, miolo de portas, molduras, rodapés, embalagens, ripas, sarrafos, fôrma para concreto, cabos de vassoura. chapas, caixas, engradados e outros.



--------------------------------------------------------------------------------




TATAJUBA

Nome Científico:
Bagassa guianensis Aubi., Moraceae.

Outros nomes e Espécies Afins:
Nas regiões de ocorrência é conhecida por Bagaceira, Amarelo, Amarelão, Amapá-rana e Garrote. No comércio externo é denominada Bagasse. 

Nomenclatura Estrangeira:
Bagasse (Alemanha, Guiana Francesa, Holanda, Inglaterra, Itália, Espanha e Suécia);
Cow-Wood (Guiana); Tatajuba (Alemanha, Espanha, Holanda e Inglaterra).

Descrição da Árvore:
Árvore de 15 a 25 m de altura, algumas vezes atingindo porte dominante. Ao ser ferida a casca da árvore exsuda látex, o qual contém uma resina atrativa para certos coleópteros.

Características da Madeira:
Ceme amarelo logo após o corte, algumas vezes com faixas mais escuras; com a exposição à luz torna-se pardo-queimado. Alburno estreito, nitidamente diferenciado do cerne. Grã de regular a entrecruzada, textura média; alto brilho nas superfícies longitudinais. Cheiro e sabor imperceptíveis.

Região de Ocorrência:
Encontrada nas matas de terra firme, nos estados do Mato Grosso, Pará, Amapá, Maranhão e Rondônia, sendo que no estado do Amazonas verifica-se a sua presença do rio Tapajós até o município de Parintins. Registra-se ainda sua ocorrência nas Guianas.

Propriedades Físico-Mecânicas:
A madeira de Tatajuba é pesada, com alta resistência mecânica e baixa retratibilidade volumétrica.

Massa específica g/cm3 kg/m3 
Aparente(15% de umidade) 0,75 750 
Básica 0,62 620 
Retração Total Radial Tangencial Volumétrica 
(%) 5,2 6,6 10,2 
Índice tangencial/radial = 1,27 
Resistência Mecânica (kgf/cm2) Madeira Verde A 15% de umidade 
Compressão axial 555 813 
Flexão estática 1.020 1.410 
Tração normal 74 - 

Comportamento Durante a Secagem:
A literatura registra qua a madeira seca vagarosamente ao ar sem apresentar defeitos. Na secagem artificial apresenta leve tendência aos empenamentos torcido e encanoado. Recomenda-se controle cuidadoso do processo para evitar esses defeitos.

Programa de secagem sugerido para madeira de TATAJUBAcom até 38 mm de espessura. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 40,0 39,0 94 21,6 - 
até 50 40,0 38,0 88 18,3 3,1 
50 40,0 37,0 83 16,2 3,1 
40 40,0 35,0 72 12,8 3,1 
30 45,0 37,0 60 9,7 3,1 
25 55,0 45,0 54 8,1 3,1 
20 65,0 51,0 48 6,6 3,0 
15 70,0 50,0 35 5,0 3,0 
10 70,0 42,0 20 3,3 3,0 

Programa de secagem sugerido para madeira de TATAJUBA com espessura de 40 mm a 65 mm. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 40,0 39,0 94 21,6 - 
até 50 40,0 38,5 91 19,8 2,5 
50 40,0 38,5 91 19,8 2,5 
40 40,0 38,0 88 18,3 2,2 
30 45,0 42,5 86 17,0 1,8 
25 50,0 46,5 81 14,7 1,7 
20 60,0 54,5 74 11,8 1,7 
15 60,0 51,0 60 8,8 1,7 
10 60,0 44,0 38 5,8 1,7 

Trabalhabilidade:
Embora dura, é fácil de ser trabalhada com ferramentas manuais ou mecânicas, produzindo ótimo acabamento. Não aceita pregos com facilidade.

Indicações de Uso:
Partes internas em construção civil tais como vigas, caibros, ripas, marcos ou batentes de portas e janelas, esquadrias, forros, lambris, rodapés e similares; estruturas externas como postes, moirões, estacas, dormentes, cruzetas, defensas; móveis comuns, tacos e tábuas de assoalho, etc. Considerada excelente para canoas escavadas em troncos inteiros.



--------------------------------------------------------------------------------






--------------------------------------------------------------------------------



JATOBÁ

Nome Científico:
Hymenaea sp. Leguminosae.

Outros nomes e Espécies Afins:
Muitas árvores do gênero Hymenaea são conhecidas comercialmente por Jatobá, Jataí e Jutaí, das quais as mais importantes são H. stilbocarpa e a H. courbaril.

Descrição da Árvore: 
Árvore de até 40 m de altura por 200 cm de DAP, sem sapopemas. Tronco cilíndrico, fuste de até 12-13 m de comprimento.

Características da Madeira:
Coloração róseo-pardacento ao pardo-avermelhado-claro, uniforme ou com veios longitudinais. Alburno espesso, branco-amarelado. Superfície pouco lustrosa, textura lisa a grossa, grã normalmente reversa. Gosto e odor indistintos.

Região de Ocorrência:
Ocorre desde o sul do México até a Bahia, nas matas de terra firme de solo argiloso e várzeas altas.

Propriedades Físico-Mecânicas:
A madeira de Jatobá pode ser classificada como de alto peso específico, baixa retratibilidade e alta resistência mecânica.

Massa específica g/cm3 kg/m3 
Aparente(15% de umidade) 0,97 970 
Básica 0,75 750 
Retração Total Radial Tangencial Volumétrica 
(%) 3,1 7,2 10,7 
Índice tangencial/radial = 2,32 
Resistência Mecânica (kgf/cm2) Madeira Verde A 15% de umidade 
Compressão axial 683 838 
Flexão estática 1.342 1.548 
Tração normal 134 - 

Comportamento Durante a Secagem:
Seca ao ar com poucas deformações. Observa-se a presença de rachaduras e empenamentos quando a secagem é demasiado rápida.

Programa de secagem sugerido para madeira de JATOBÁ com até 38 mm de espessura. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 40,0 39,0 94 21,6 - 
até 50 40,0 38,5 91 19,8 2,5 
50 40,0 38,0 88 18,3 2,7 
40 40,0 37,5 85 17,0 2,4 
30 45,0 41,0 79 14,2 2,1 
25 55,0 49,0 71 11,3 2,2 
20 65,0 56,5 63 9,1 2,2 
15 65,0 51,5 49 6,8 2,2 
10 65,0 43,0 29 4,5 2,2 

Programa de secagem sugerido para madeira de JATOBÁ com espessura de 40 mm a 65 mm. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 35,0 34,0 94 21,9 - 
até 50 35,0 34,0 94 21,9 2,3 
50 35,0 34,0 94 21,9 2,3 
40 35,0 33,5 90 19,7 2,0 
30 35,0 33,0 88 18,4 1,6 
25 40,0 37,0 83 16,2 1,5 
20 50,0 45,5 76 13,1 1,5 
15 50,0 42,0 61 9,7 1,5 
10 50,0 36,0 40 6,5 1,5 

Trabalhabilidade:
Difícil a moderadamente fácil de trabalhar, pode ser desenrolada, aplainada, colada, parafusada e pregada sem muitos problemas. Apresenta resistência para tornear e faquear. O acabamento é agradável. Aceita pintura, verniz, lustre e emassamento.

Indicações de Uso:
Construções externas (obras hidráulicas, postes e vigas), construções pesadas, laminados, móveis, cabos de ferramentas. Implementos agrícolas, carrocerias e vagões, dormentes, cruzetas e construção civil em geral.



--------------------------------------------------------------------------------






--------------------------------------------------------------------------------



ITAÚBA

Nome Científico:
Mezilaurus itauba (Meissn.) Taub., Lauraceae.

Outros nomes e Espécies Afins:
É conhecida também pelos nomes de Itaúba-amarela, Itaúba-abacate, Itaúba-preta e Louro-itaúba. M. synandra e M. navalium possuem madeiras com características similares.

Descrição da Árvore: 
Árvore de grande porte, chegando a 40 m de altura e 80 cm de diâmetro; em solos arenosos ou pedregosos desenvolve-se menos. Possui casca avermelhada e fissurada.

Características da Madeira:
Cerne amarelo-oliva quando ainda tímido, tornando-se pardo com a exposição ao ar; alburno distinto, de cor bege-claro. A madeira não apresenta desenhos, tendo textura média, pouco brilho e grã regular; lisa ao tato. Quando recém-cortada tem cheiro agradável e gosto picante, porém pouco perceptíveis quando seca..

Região de Ocorrência:
Muito comum na regiio de Óbidos (PA) e no rio Tapajós; dispersando-se até as Guianas e o estado de Mato Grosso. É encontrada sempre em solos pobres, silicosos ou argilo-silicosos. 

Propriedades Físico-Mecânicas:
A madeira é muito pesada e dura, com alta resistência mecânica e baixa retratibilidade. Elevada resistência natural ao apodrecimento e ao ataque de insetos.

Massa específica g/cm3 kg/m3 
Aparente(15% de umidade) 0,96 960 
Básica 0,78 780 
Retração Total Radial Tangencial Volumétrica 
(%) 2,3 6,7 12,1 
Índice tangencial/radial = 2,91 
Resistência Mecânica (kgf/cm2) Madeira Verde A 15% de umidade 
Compressão axial 588 697 
Flexão estática 1.177 1.290 
Tração normal 110 - 

Comportamento Durante a Secagem:
A secagem ao ar é lenta e difícil, porém sem causar alta incidência de defeitos. A secagem artificial é reportada como lenta, com ocorrência acentuada de rachaduras e moderada de empenamentos. Não há indicação de programas específicos para a madeira de Itaúba.

Trabalhabilidade:
Moderadamente difícil de ser trabalhada, tanto com ferramentas manuais como com máquinas devido á presença de sílica; porém propicia bom acabamento. 

Indicações de Uso:
Em construções externas tais como estruturas de pontes, postes, moirões, dormentes, cruzetas, defensas, estacas; partes internas em construção civil como vigas, caibros, ripas, marcos ou batentes de portas e janelas, esquadrias, caixilhos, tacos e tábuas de assoalho; mobiliário comum, construção naval, barcos, carrocerias, tanoaria, peças torneadas, cabos de ferramentas e implementos agrícolas, etc.



--------------------------------------------------------------------------------






--------------------------------------------------------------------------------



IPÊ

Nome Científico:
Tabebuia impetiginosa (Mart.) Standl., Bignoniaceae.

Outros nomes e Espécies Afins:
O gênero Tabebula tem cerca de 60 espécies ocorrendo em toda a América Tropical, desde o México até a Argentina. De forma geral, as espécies com madeira densa e escura são denominadas, indistintamente, de lpê, Pau-d'arco e Ipeúna, às vezes acrescentando-se a cor da floração (Ipê-roxo, Ipê-amarelo). Uma denominação comum a vários países sul-americanos é Lapacho.

Descrição da Árvore:
Árvore com normalmente 8 a 10 m de altura quando isolada; na floresta pode atingir até 30 m de altura e 100 cm de diâmetro. Casca espessa e rígida, de cor pardo-escura, sulcada longitudinalmente e fissurada transversalmente.

Características da Madeira:
Cerne pardo-acastanhado ou pardo-claro, geralmente uniforme, sendo comum apresentar reflexos esverdeados. Superfície pouco lustrosa, medianamente lisa ao tato; textura de fina a média, uniforme; grã direita a reversa, cheiro e gosto imperceptíveis.

Região de Ocorrência:
Das espécies mais comuns, T. impetiginosa ocorre do Nordeste ao estado de São Paulo; T. heptaphyfla é mais restrita ao sul da Bahia, Espírito Santo e Rio de Janeiro. T. serra-tifolia e T. ipe tem distribuição mais ampla, desde a região Norte/Nordeste até a região Sul. 

Propriedades Físico-Mecânicas:
A madeira é muito pesada e dura, com alta resistência mecânica e baixa retratibilidade volumétrica. É resistente ao ataque de insetos e ao apodrecimento.

Massa específica g/cm3 kg/m3 
Aparente(15% de umidade) 0,96 960 
Básica 0,79 790 
Retração Total Radial Tangencial Volumétrica 
(%) 4,3 7,2 11,4 
Índice tangencial/radial = 1,67 
Resistência Mecânica (kgf/cm2) Madeira Verde A 15% de umidade 
Compressão axial 690 745 
Flexão estática 1.540 1.632 
Tração normal 100 - 

Comportamento Durante a Secagem:
A secagem ao ar é de média a rápida, e apresenta pequenos problemas de rachaduras e empenamentos. A secagem artificial pode agravar a incidência de defeitos.

Programa de secagem sugerido para madeira de IPÊ com até 38 mm de espessura. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 40,0 39,0 94 21,6 - 
até 50 40,0 38,5 91 19,8 2,7 
50 40,0 38,0 88 18,3 2,7 
40 40,0 37,0 83 16,2 2,5 
30 45,0 39,5 70 12,1 2,5 
25 55,0 47,5 64 10,0 2,5 
20 65,0 54,5 58 8,0 2,5 
15 70,0 54,0 45 6,1 2,5 
10 70,0 46,0 27 4,1 2,5 

Programa de secagem sugerido para madeira de IPÊ com espessura de 40 mm a 65 mm. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 40,0 39,0 94 21,6 - 
até 50 40,0 38,5 91 19,8 2,5 
50 40,0 38,0 88 18,3 2,7 
40 40,0 37,5 85 17,0 2,4 
30 45,0 41,0 79 14,2 2,1 
25 55,0 49,0 71 11,3 2,2 
20 65,0 56,5 63 9,1 2,2 
15 65,0 51,5 49 6,8 2,2 
10 65,0 43,0 29 4,5 2,2 

Trabalhabilidade:
Moderadamente difícil de trabalhar, principalmente com ferramentas manuais, que perdem rapidamente a afiação. Recebe um bom acabamento. São relatados problemas de colagem. O pó liberado durante o beneficiamento pode causar dermatite.

Indicações de Uso:
A madeira de Ipê pode ser utilizada em obras externas tais como postes moirões, estacas, esteios, defensas, dormentes, cruzetas, estruturas; em construção civil na forma de vigas, caibros, ripas, batentes ou marcos de portas e janelas, caixilhos, tacos, tábuas de assoalho e similares; mobiliário comum, peças torneadas, cabos de ferramentas, carrocerias, construção naval, instrumentos musicais, degraus de escada, bolas de boliche e bocha, etc.



--------------------------------------------------------------------------------

ANGELIM-VERMELHO

Nome Científico:
Dinizia excelsa Ducke, Leguminosae.

Outros nomes e Espécies Afins:
Também conhecida por Angelim, Angelim-pedra, Angelim-falso e Faveira-grande. No mercado externo é chamada de Faveira-preta, Kuraru, Parakwa. 

Descrição da Árvore: 
São encontradas árvores com altura de até 60 m e diâmetro de 2 m. Tronco cilíndrico e reto, com sapopemas na base. Inventariada na região Amazônica com frequência de 0,5 a 9 árvores/ha, com volumes de 0,8 a 8,0 m3 por hectare.

Características da Madeira:
O alburno é castanho-avermelhado, e o cerne marrom-avermelhado-claro, não muito distintos entre si; com brilho e textura médios. A grã é direita e irregular, às vezes reversa. Tem odor fraco e desagradável, gosto indistinto.

Região de Ocorrência:
A região Norte do Brasil é o local de maior ocorrência, inclusive no Sul da Guiana. 

Propriedades Físico-Mecânicas:
Madeira muito pesada e de alta resistência mecânica. Retratibilidade volumétrica média. É reportada como sendo extremamente durável.

Massa específica g/cm3 kg/m3 
Aparente(15% de umidade) 1,09 1.090 
Básica 0,82 820 
Retração Total Radial Tangencial Volumétrica 
(%) 5,1 9,8 15,0 
Índice tangencial/radial = 1,92 
Resistência Mecânica (kgf/cm2) Madeira Verde A 15% de umidade 
Compressão axial 665 825 
Flexão estática 1.017 1.408 
Tração normal 53 - 

Comportamento Durante a Secagem:
Quanto à secagem, apresenta tendência moderada ao torcimento e leve ao colapso. Seca relativamente bem ao ar. 

Programa de secagem sugerido para madeira de ANGELIM-VERMELHO com até 38 mm de espessura. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 40,0 39,0 94 21,6 - 
até 50 40,0 38,5 91 19,8 2,7 
50 40,0 38,0 88 18,3 2,7 
40 40,0 37,0 83 16,2 2,5 
30 45,0 39,5 70 12,1 2,5 
25 55,0 47,5 64 10,0 2,5 
20 65,0 54,5 58 8,0 2,5 
15 70,0 54,0 45 6,1 2,5 
10 70,0 46,0 27 4,1 2,5 

Programa de secagem sugerido para madeira de ANGELIN-VERMELHO com espessura de 40 mm a 65 mm. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 35,0 34,0 94 21,9 - 
até 50 35,0 34,0 94 21,9 2,3 
50 35,0 34,0 94 21,9 2,3 
40 35,0 33,5 90 19,7 2,0 
30 35,0 33,0 88 18,4 1,6 
25 40,0 37,0 83 16,2 1,5 
20 50,0 45,5 76 13,1 1,5 
15 50,0 42,0 61 9,7 1,5 
10 50,0 36,0 40 6,5 1,5 

Trabalhabilidade:
O Angelim-vermelho é considerado de difícil trabalhabilidade, mas recebe bom acabamento.

Indicações de Uso:
Usado em construções pesadas, na carpintaria, marcenaria, na construção naval, carrocerias, pisos industriais, assoalhos, dormentes, cabos para ferramentas.




--------------------------------------------------------------------------------

CUMARU

Nome Científico:
Dipteryx odorata (Aubl.) Wild., Leguminosae.

Outros nomes e Espécies Afins:
Cumaru-de-folha-grande, Cumbaru-roxo, Cumbaru. 

Descrição da Árvore: 
Árvore grande, freqüentemente com mais de 50 m de altura, por 120 cm de diâmetro. Tronco cilíndrico, com fuste de até 18-24 m de comprimento.

Características da Madeira:
Coloração marrom-claro ou marrom-amarelado. O alburno é distinto, marrom-amarelado. Superfície pouco a medianamente lustrosa, de aparência cerosa, odor parecido com o da baunilha. Gosto distinto.

Região de Ocorrência:
Guianas, Venezuela, Colômbia e região Amazônica. Desenvolve-se bem em solos com boa drenagem.

Propriedades Físico-Mecânicas:
A madeira de Cumaru pode ser classificada como de alto peso específico, baixa retratibilidade e alta resistência mecânica.

Massa específica g/cm3 kg/m3 
Aparente(15% de umidade) 0,95 950 
Básica 0,82 820 
Retração Total Radial Tangencial Volumétrica 
(%) 5,0 7,6 12,0 
Índice tangencial/radial = 1,52 
Resistência Mecânica (kgf/cm2) Madeira Verde A 15% de umidade 
Compressão axial 671 951 
Flexão estática 1.324 1.720 
Tração normal 62 - 

Comportamento Durante a Secagem:
A madeira é relativamente fácil de secar ao ar, com pequena tendência a rachar superficialmente. Apresenta empenamento moderado. Secagem artificial lenta, porém praticamente isenta de defeitos.

Programa de secagem sugerido para madeira de CUMARU com até 38 mm de espessura. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 40,0 39,0 94 21,6 - 
até 50 40,0 38,5 91 19,8 2,5 
50 40,0 38,0 88 18,3 2,7 
40 40,0 37,5 85 17,0 2,4 
30 45,0 41,0 79 14,2 2,1 
25 55,0 49,0 71 11,3 2,2 
20 65,0 56,5 63 9,1 2,2 
15 65,0 51,5 49 6,8 2,2 
10 65,0 43,0 29 4,5 2,2 

Programa de secagem sugerido para madeira de CUMARU com espessura de 40 mm a 65 mm. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 35,0 34,0 94 21,9 - 
até 50 35,0 34,0 94 21,9 2,3 
50 35,0 34,0 94 21,9 2,3 
40 35,0 33,5 90 19,7 2,0 
30 35,0 33,0 88 18,4 1,6 
25 40,0 37,0 83 16,2 1,5 
20 50,0 45,5 76 13,1 1,5 
15 50,0 42,0 61 9,7 1,5 
10 50,0 36,0 40 6,5 1,5 

Trabalhabilidade:
Difícil perfuração; pode-se obter uma superfície lisa se não estiver presente a grã reversa. Devido a natureza oleosa, a madeira apresenta dificuldade em ser colada. Aceita polimento, pintura, verniz, lustre e emassamento.

Indicações de Uso:
Construção civil, lâminas faqueadas decorativas, cabos de ferramentas, implementos agrícolas, dormentes e cruzetas, forros, tábuas de assoalho, etc.



--------------------------------------------------------------------------------






--------------------------------------------------------------------------------



VIROLA

Nome Científico:
Virola surinamensis (rol)Warb, Myristicaceae.

Outros nomes e Espécies Afins:
Ucuúba, Ucuúba-branca, Ucuúba-da-varzea, Bicuíba, Bicuíba-branca. Virola oleifera, apesar de ser uma árvore de menor porte, tem madeira semelhante à de V. surinamensis.

Descrição da Árvore:
Árvore de grande porte, atingindo 30 a 35 m de altura a 60 a 90 cm de diâmetro. Apesar de possuir sapopema basais, os troncos são retos, cilíndricos e limpos, atingindo cerca de 2/3 de altura da árvore.

Características da Madeira:
Madeira leve,cerne de coloração bege-claro-rosado,pouco distino do alburno. Superfície lisa e com pouco brilho; grã regular, textura media;cheiro e sabor imperceptível.

Região de Ocorrência:
Margens algáveis dos rios e igapós, como também em várzeas, principalmente nos estados do amazonas e do Pará. Do Maranhão até Pernambuco ocorrem outras espécies de virola, em florestas de terra firme. É citada como espécie de bom crescimento em plantios homogêneos.

Propriedades Físico-Mecânicas:
Madeira leve, com resistência mecânica e retratibilidade volumétrica baixas. Não possui resistência natural ao apodrecimento e é especialmente atacada pelo besouro Lyctus brunneus.

Massa específica g/cm3 kg/m3 
Aparente(15% de umidade) 0,48 480 
Básica 0,39 390 
Retração Total Radial Tangencial Volumétrica 
(%) 4,7 7,0 11,6 
Índice tangencial/radial = 1,49 
Resistência Mecânica (kgf/cm2) Madeira Verde A 15% de umidade 
Compressão axial 190 305 
Flexão estática 380 581 
Tração normal 46 - 

Comportamento Durante a Secagem:
Secagem moderadamente difícil, com tendência a empenamentos, rachaduras e colapso. Peças espessas tem a secagem ao ar muito lenta. A secagem artificial deve ser cuidadosamente controlada para evitar alta incidência dos defeitos anteriormente citados.

Programa de secagem sugerido para madeira de VIROLA com até 38 mm de espessura. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 50,0 49,0 95 21,5 - 
até 50 50,0 48,0 89 18,0 3,1 
50 50,0 47,0 84 15,8 3,1 
40 50,0 46,0 79 14,0 2,9 
30 55,0 49,5 73 11,7 2,6 
25 65,0 58,0 68 9,9 2,5 
20 70,0 59,0 59 8,0 2,5 
15 70,0 54,0 45 6,1 2,5 
10 70,0 46,0 27 4,1 2,5 

Programa de secagem sugerido para madeira de VIROLA com espessura de 40 mm a 65 mm. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 40,0 39,0 94 21,6 - 
até 50 40,0 38,5 91 19,8 2,5 
50 40,0 38,0 88 18,3 2,7 
40 40,0 37,5 85 17,0 2,4 
30 45,0 41,0 79 14,2 2,1 
25 55,0 49,0 71 11,3 2,2 
20 65,0 56,5 63 9,1 2,2 
15 65,0 51,5 49 6,8 2,2 
10 65,0 43,0 29 4,5 2,2 

Trabalhabilidade:
Madeira fácil de ser trabalhada com qualquer tipo de ferramenta ou máquina, resultando em superfícies lisas. A colagem é boa.

Indicações de Uso:
Marcenaria em geral, embalagens leves, molduras, painéis compensados, forros, lambris, componentes de móveis, lápis, brinquedos e palitos e palitos de fósforo e de sorvete.


GRÁPIA

Nome Científico:
Apulela leiocarpa (Vogel) Macbride., Leguminosae.

Outros nomes e Espécies Afins:
A madeira de Grápia também recebe as de denominações de Garapa, Grapiapunha, Grapiá, Amarelinho, Gema-de-ovo. Garapeira. 

Descrição da Árvore:
Árvore com 25 a 30 m de altura e diâmetro de 60 a 100 cm. Seu tronco cilíndrico é um pouco tortuoso, possuindo uma casca fina, dura, de cor pardo-amarelada, que se desprende em placas rígidas.

Características da Madeira:
Cerne do bege-amarelado ou amarelo levemente rosado até róseo-acastanhado, uniforme; alburno branco-amarelado. Grã irregular a reversa; superfície lisa, lustrosa, de textura média; cheiro e gosto imperceptíveis.

Região de Ocorrência:
A espécie Apulela lelocarpa ocorre nas matas pluviais do sul da Bahia e norte do Espírito Santo até o Rio Grande do Sul, Argentina e Paraguai. Na região Amazônica verifica-se a presença de uma variedade dessa espécie (A. lejocarpa var. molaris), que é denominada de Muiraluba ou Barajuba.

Propriedades Físico-Mecânicas:
Trata-se de uma madeira pesada e dura, de média retratibilidade volumétrica e com resistência mecânica entre média e alta. Possui moderada resistência natural ao apodrecimento.

Massa específica g/cm3 kg/m3 
Aparente(15% de umidade) 0,83 830 
Básica 0,67 670 
Retração Total Radial Tangencial Volumétrica 
(%) 4,4 8,5 14,0 
Índice tangencial/radial = 1,93 
Resistência Mecânica (kgf/cm2) Madeira Verde A 15% de umidade 
Compressão axial 380 554 
Flexão estática 956 1.278 
Tração normal 98 - 

Comportamento Durante a Secagem:
Madeira de secagem difícil, que deve ser lenta e bem controlada para evitar a alta incidência de defeitos.

Programa de secagem sugerido para madeira de GRÁPIA com até 38 mm de espessura. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 40,0 39,0 94 21,5 - 
até 50 40,0 38,5 91 19,8 2,7 
50 40,0 38,0 88 18,3 2,7 
40 40,0 37,0 83 16,2 2,5 
30 45,0 39,5 70 12,1 2,5 
25 55,0 47,5 64 10,0 2,5 
20 65,0 54,5 58 8,0 2,5 
15 70,0 54,0 45 6,1 2,5 
10 70,0 46,0 27 4,1 2,5 

Programa de secagem sugerido para madeira de GRÁPIA com espessura de 40 mm a 65 mm. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 40,0 39,0 94 21,6 - 
até 50 40,0 38,5 91 19,8 2,5 
50 40,0 38,5 91 19,8 2,5 
40 40,0 38,0 88 18,3 2,2 
30 45,0 42,5 86 17,0 1,8 
25 50,0 46,5 81 14,7 1,7 
20 60,0 54,5 74 11,8 1,7 
15 60,0 51,0 60 8,8 1,7 
10 60,0 44,0 38 5,8 1,7 

Trabalhabilidade:
Madeira fáciI de se trabalhar desde que se use ferramentas apropriadas devido á presença de sílica; porém recebe bem cola e proporciona bom acabamento.

Indicações de Uso:
Construção de estruturas externas tais como dormentes, postes, estacas, moirões, cruzetas e similares; em construção civil como vigas, caibros, ripas, marcos ou batentes de portas e janelas, esquadrias, assoalhos, forros e similares. E também indicada para tanoaria, carrocerias, cabos de ferramentas e construção naval.
1-. Nombre científico: Brosimum Parinariodes 
2-. Usos: Para la fabricación de molduras. 
3-. Calidad: ROUGH SAWN, KD 12%, libre de todo defecto, nudos u otros, madera limpia. 
4-. Nuestros costos: Madera corta a US$ /m3 y madera larga a US$ /m3 FOB Paranaguá, Brasil. 
5-. Disponible: +/- 40,000 m3 de cada una. 
6-. Entrega: Inmediata. 

AMAPÁ

Nome Científico:
Brosimum parinarioides Ducke, Apocynaceae.

Outros nomes e Espécies Afins:
No Estado do Amazonas é conhecida como Amapá e Amapá-roxo, no Estado do Pará é denominada Amapá-doce, Amapá-rana, Mururé-rana. No Suriname é chamada Doekali. 

Descrição da Árvore: 
Árvore grande com altura variando de 24 a 30 m, podendo atingir até 40 m, com o tronco muitas vezes volumoso, de 0,7 a 1,1 m de diâmetro. Tem altura comercial de aproximadamente 13 m. Não possui sapopemas.

Características da Madeira:
Cerne e alburno indistintos quanto a cor, bege-amarelado, levemente rosado; textura média; grã irregular reversa; superfície levemente lustrosa; cheiro e gosto indistintos.

Região de Ocorrência:
Região Amazônica, principalmente Pará, Amazonas, Amapá e também nas Guianas e Suriname, normalmente em matas altas de terra firme.

Propriedades Físico-Mecânicas:
A madeira de Amapá está classificada como moderadamente pesada. Apresenta também retratibilidade e resistência mecânica médias.

Massa específica g/cm3 kg/m3 
Aparente(15% de umidade) 0,68 680 
Básica 0,59 590 
Retração Total Radial Tangencial Volumétrica 
(%) 5,0 8,7 14,7 
Índice tangencial/radial = 1,74 
Resistência Mecânica (kgf/cm2) Madeira Verde A 15% de umidade 
Compressão axial 360 480 
Flexão estática 748 1.038 
Tração normal 26 - 

Comportamento Durante a Secagem:
A secagem ao ar é fácil e com pequena ocorrência de defeitos. A secagem em estufa, é muito drástica, pode provocar empenamentos severos e endurecimento superficial. Atenção especial deve ser dada à presença da madeira de reação, que pode ocasionar empenamentos.

Programa de secagem sugerido para madeira de AMAPÁ com até 38 mm de espessura. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 50,0 49,0 95 21,5 - 
até 50 50,0 48,0 89 18,0 3,1 
50 50,0 47,0 84 15,8 3,1 
40 50,0 46,0 79 14,0 2,9 
30 55,0 49,5 73 11,7 2,6 
25 65,0 58,0 68 9,9 2,5 
20 70,0 59,0 59 8,0 2,5 
15 70,0 54,0 45 6,1 2,5 
10 70,0 46,0 27 4,1 2,5 

Programa de secagem sugerido para madeira de AMAPÁ com espessura de 40 mm a 65 mm. 
Umidade Ts (ºC) Tu (ºC) UR (%) UE (%) Potencial 
aquecimento 40,0 39,0 94 21,6 - 
até 50 40,0 38,5 91 19,8 2,5 
50 40,0 38,0 88 18,3 2,7 
40 40,0 37,5 85 17,0 2,4 
30 45,0 41,0 79 14,2 2,1 
25 55,0 49,0 71 11,3 2,2 
20 65,0 56,5 63 9,1 2,2 
15 65,0 51,5 49 6,8 2,2 
10 65,0 43,0 29 4,5 2,2 

Trabalhabilidade:
A madeira de Amapá é fácil de trabalhar, apesar da operação de corte em serra ser médio. Aplainamento e lixamento são regulares e não apresentam lascamento, recebe brilho acentuado. Fresamento é excelente, sem defeitos. A furação com broca é excelente no topo e radial, regular no tangencial. Sem problemas de colagem ou acabamento superficial. 

Indicações de Uso:
Móveis, painéis decorativos, lambris, lâminas para compensado, vigas, caibros, ripas, venezianas, marco de porta, esteios.



--------------------------------------------------------------------------------


MANDIOQUEIRA 

* NOME CIENTÍFICO 
Qualea albiflora Warm. 

* FAMÍLIA 
Vochysiaceae 

* NOMES COMERCIAIS 
BRASIL :canela-mandioca, mandioqueira-áspera, mandioqueira-lisa.

* ORIGEM 
Pará, Amazonas e acre. 

* CARACTERÍSTICA GERAIS 
Cerne e alburno pouco distintos, cinza-claro. Anéis de crescimento distintos, grã revessa, textura média, brilho moderado e cheiro imperceptível. 

* SECAGEM 
Seca bem ao ar livre, sem apresentar defeitos. 

* TRABALHABILIDADE 
Moderadamente dura ao corte. Fácil para tornear, proporcionando acabamento regular, com tendência a apresentar superfície felpuda e arrancada. Boa colagem. 

* DURABILIDADE 
Moderadamente resistente a cupins de madeira seca. 

* PRESERVAÇÃO 
Dado não disponível. 

* USOS 
Construção civil e naval, armação de móveis, compensados, embalagens e outros.